sábado, 29 de janeiro de 2011

Pós-venda e pré-raiva

Muitas empresas possuem graves problemas na pós-venda. Quando vendem um produto, prometem o céu, com o melhor preço e atendimento. Porém, após a compra, é obrigação da empresa dar todo o suporte ao cliente para que ele possa usufruir 100% do produto comprado. Nos últimos dias apareceu um exemplo de como não fazer uma pós-venda: o senhor Oswaldo (@oboreli), em um vídeo sincero e direto, demonstrou sua indignação com a Brastemp após comprar uma geladeira da marca. Assista o vídeo AQUI.
O assunto repercutiu bastante, tanto é que, neste exato momento, "Brastemp" entrou nos TT mundiais no Twitter.

Oswaldo disse em seu twitter que a Brastemp entrou em contato com ele, prometendo ressarcir todos os danos. É, só depois que o assunto deu repercussão nacional (e, de certa forma, mundial). Esse é um grande erro tanto de empresas quanto do próprio governo: só toma as medidas necessárias quando seus nomes estão ameaçados.
Outro problema de algumas empresas é na hora da venda. Neste exato momento, o Walmart, em parceria com o louvável projeto Jogo Justo, está vendendo diversos games e acessórios por preços reduzidos, com valores que seriam possíveis se não houvesse a vergonhosa carga tributária brasileira. Porém, cometeram um grave erro: não prepararam suas estruturas para o tsunami de clientes. O site está sofrendo problemas de acesso, e o próprio Walmart, em seu twitter, pediu para que os clientes parassem de acessar o site.

Imagem publicada no twitter do @blogdojotace

A intenção do Walmart e Jogo Justo foi muito boa, porém, de boas intenções o mercado capitalista está cheio, e muitos acabam por atingir o efeito inverso do pretendido: ganham má fama e perdem seus clientes.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seus comentários / críticas / elogios.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.