quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O mundo de produção capitalista e a humanidade

Hoje, passei em frente uma loja vi um cartaz colado "Estamos fechados por motivo de luto" e me peguei pensando: "Puta coisa ridícula, um monte de gente morre todo dia, se o mundo fosse parar por causa disso..." opa... perae, de onde veio esse pensamento?

Por um momento, viajei no tempo até minha adolescência onde durante vários anos joguei RPG com os amigos, e me lembro que em Storyteller, mais precisamente, em Vampiro: A Máscara, tínhamos um item de nossos personagens que vivíamos preocupados: A "Humanidade".

A "Humanidade" de nossos personagens era determinada por suas ações, que em uma escala de 0 a 10, mostrava como nossos personagens eram mais (10) ou menos (0) "humanos", e esses pontos podiam ser perdidos e ganhados com as ações dos personagens, mas o nosso maior medo era que, quanto menor a "humanidade", mais impulsivo era o personagem, correndo o risco de, em algum momento, perdermos o controle do mesmo, e termos que começar uma ficha nova...

Dai parei e pensei: vivemos hoje num mundo, onde grandes corporações nos vêem como um número, uma matrícula que deve produzir, gerar resultado, e isso, no competitivo mercado de trabalho, acaba sendo comprado por nós como verdade: saímos de férias preocupados com as metas a serem batidas e com o serviços que vai ficar acumulado, isso quando saímos de férias... temos até medo/vergonha de as vezes fazer uso de um atestado médico para cuidar da saúde com medo de sermos mal vistos, afinal de contas, temos que produzir, até mesmo de ficarmos tristes e velarmos um ente querido, parente, que venha a falecer, pois nossa vida é produzir, não podemos fraquejar, THIS IS SPARTA!

Olhando por esse lado, parece ridículo, mas é o que compramos, inconscientemente.

No outro lado da balança, temos o outro extremo, que também não é bom e que tanto critico as vezes.

Mas a questão é que existe uma nova linha de pensamento: de sustentabilidade, de lucro responsável, de boas práticas corporativas, que por mais as empresas ainda levantem essas "bandeiras" por marketing e no fundo só pensam na porra do lucro, temos que pensar nessa linha por um simples motivo: manter nossa "humanidade".

A história está recheada de atos hediondos e dementes cometidos pelo poder, dinheiro e riqueza, e esta saga sombria se perpetua até hoje, portanto, cabe a nós, que estamos amaldiçoados a trabalhar no mercado atualmente, trabalharmos sim, mas com a consciência de que somos humanos, e que não podemos nos tornar vampiros sangue-suga, sugando a nossa vida, a vida das pessoas e do planeta.

... antes que percamos o controle de nós mesmos.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seus comentários / críticas / elogios.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.