quinta-feira, 15 de julho de 2010

O melhor emprego é ser mulher.

Comentário machista, infame e claro, bem apropriado para a seguinte notícia expelida direta do mundo dos famosos:

Juíza fixa pensão Sthefany Brito em 20% dos ganhos de Alexandre Pato


A juíza Maria Cristina de Brito Lima decidiu nesta quarta-feira, 14, que Sthefany Brito, 23 anos, terá 20% sobre os ganhos e contratos firmados por Alexandre Pato, 20 anos. Segundo informações do site 'Terra', a quantia estipulada é referente aos alimentos provisórios da atriz - Quantia que ela receberá para garantir o seu sustento até o processo for julgado. A decisão é por tempo indeterminado, mas poderá ser alterada após o julgamento do processo de separação.
---
Pois bem, creio eu que a legislação atual deva ser de fato reexaminada e ter um cunho mais sério do que o atual. Esse tipo de prática deveria ser repreendida ao invés de incentivada. O casamento da nossa ilustre trabalhadora durou cerca de 9 meses e 13 dias, conforme a fonte, tempo suficiente para que ela acumulasse um grande prestígio e vivesse pomposamente a ponto de necessitar de mais de R$ 140.000,00 mensais para poder viver com o mínimo de dignidade, ter como se alimentar adequadamente.
É certo que essa criatura jamais irá arrumar um emprego novamente e irá comprovar rendimentos próprios, afinal, isso poderia descaracterizar a necessidade de se receber pensão alimentícia, já que a mesma em tese tem caráter provisório até que o consorte possa sustentar-se devidamente.
Agora alguém me diga aonde essa pessoa, em sua sã consciência, vai querer perder a oportunidade de trabalhar e consequentemente perder a querida pensão? Tadinha, ela nunca mais vai conseguir um emprego na vida e por isso viverá de pensão eternamente.
Enfim, esse post tem um cunho de revolta embutido, pois que fique bem claro que não sou contra o direito de pensão e sim contra o direito de pensão abusiva. Em minha opinião, a parte contrária deveria pagar uma pensão que garantisse a saúde, o bem estar, transporte, alimentação, estudos, lazer e etc etc etc, ou seja, um salário mínimo deve dar né? Porquê nossa Carta Magna (leia-se Constituição Federal) assim o descreve.
Esse tipo de atitude é deplorável, tanto por parte da ex-mulher, que deveria ter no mínimo um orgulho exagerado para jamais se sujeitar a tal obrigação, quanto por parte da legislação e do aplicador da lei, que simplesmente incentiva a arrumar um homem rico, lindo e charmoso, ficar um tempo com ele e pedir separação e ganhar um "salário" pomposo todo santo mês.
Stefhany Brito e Luciana Gimenez são exemplos perfeitos de pessoas que sabem trabalhar. Ao invés de utilizar seu pequeno presente divino para fazer xixi, usam para ganhar dinheiro.

4 comentários:

Psycrow disse...

Tudo certo que o jogador em questão também merecia de fato uma certa punição pelos seus atos como marido. Era jogador de futebol, viva nas putarias da vida e ainda chegava bêbado em casa, mas esse não é o foco da questão em si, mas sim o caráter permanente da pensão.

Uma coisa é pagar 20% do seu salário para uma pessoa que mora com você e te ajudou a construir tudo o que você tem ao longo de sua vida por no mínimo 15 anos.

Outra coisa é casar, ficar 9 meses de princesa e condicionar o seu ex-marido a pagar pensão para você pelo o resto da sua vida como ocorre sempre.

Porra, a garota tem 23 anos de idade, está no auge da aptidão ao trabalho e me vem com essa? A pensão deveria ser de valor fixo e pago em única parcela se possível, ou então parcelada conforme as possibilidades da parte.

Assim a pessoa teria meio que um seguro para poder tratar da sua vida e se tornar apta a entrar no mercado de trabalho com dignidade, ao invés de ficar em casa pensando no diabo e indo para a academia contar suas façanhas para as outras miguxas.

Mala disse...

Ela ta certa, se eu fosse mulher e gostosa não agiria diferente.

Almighty disse...

Peraí, a juíza Cristina de BRITO Lima que julgou esse caso da Sthephany BRITO? Enfim...
Às vezes esse valor provisório é bem maior do que o definitivo.
E tem um detalhe: a partir do momento que ela se encostar em outro cara, já era, o Pato vai voar, e tchau pensão. Com a mudança da lei de separação (agora é só divórcio), não sei como ficará essa situação.
Sim, eu entrei no clima do texto e fui machista e infame =D

Psycrow disse...

Mas aí é que está o negócio. Ela nunca mais vai casar, no máximo juntar os panos e foda-se, hahahaha. Igual a Maitê Proença fez recentemente ao recorrer na justiça porque sua pensão foi retirada pelo município de São Paulo ao ler na autobiografia dela que ela está casada com alguém, huahuahuahuhuauhahuauha. Ela rapidamente recorreu alegando que não foi casada no papel, e por falta de regulamentação da união estável, fica esse lenga lenga escroto.

Postar um comentário

Deixe seus comentários / críticas / elogios.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.