quinta-feira, 6 de maio de 2010

Motivação é importante... Mas motivar para que?

Há algum tempo li e ouvi algumas coisas sobre motivação, desde uma palestra de um caboclo famoso que teve na cidade, a uma palestra divulgada por um grupo do Empretec, assim como algumas reuniões na empresa, assim como alguns bate-papos, e algumas leituras que acabei por fazer e meditar...

Acho que realmente a parte "motivacional" das nossas vidas é extremamente importante em nossas carreiras pessoais e profissionais, mas quando vamos a uma palestra, ou lemos um livro, estamos nos motivando a quê? Estamos realmente utilizando o foco certo?

Duas coisas que me chamaram a atenção foram as histórias de "deixar um legado" e "determinar um sonho"...

Deixar um legado... soa poético, uma ideia bonita... mas que tipo de legado você quer deixar? Quem disse que você quer que seu legado seja estritamente profissional e naquela exata empresa que você atua??

Acredito que a grande maioria das pessoas não faz exatamente o que gosta e de certa forma se dedica a algo diferente nas horas vagas ao que mais lhe agrada. Em momento algum isso é desculpa ou motivo para fazer as coisas mal feitas no trabalho, mas também é o motivo de não querer se dedicar 100%, dar seu sangue e suor unica e exclusivamente a um trabalho que na grande maioria das vezes, só traz o crescimento do bolso e do ego do dono da empresa...

Nem sempre tudo envolve dinheiro também... conheço casos de pessoas que não são as melhores profissionais do mundo, mas são excelentes mães... seus filhos são seu legado...

Portanto, para mim, essa história de legado é muito pessoal para ser simplesmente um "case" de motivação dentro de uma empresa.

Quase chegando no mesmo ponto, existe o papo de "determinar um sonho"...

Quando estudei a pirâmide da Hierarquia das necessidades de Maslow, percebi que o item "auto-realização" é inalcançavél, pelo simples motivo que somos seres voláteis, sempre mudamos de opiniões e desejos, não somos uma fotografia de um momento de nossas vidas, um simples "sonho" de auto-realização em um momento estático, nossos sonhos (ou necessidades de auto-realizações) mudam a todo momento, e é isso que nos impulsiona a continuar... portanto, quem alcançou seu sonho "determinado" não tem mais motivação pra continuar?

No fundo, bem lá no fundo, nós temos toda a capacidade necessária para ter a auto-motivação que precisamos no dia-a-dia, em qualquer que seja o nosso foco naquele momento... O problema é que nos tornamos acomodados, pacientes demais, e parafraseando Marques de Maricá, "A paciência em muitos casos não é mais senão medo, preguiça ou impotência".

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seus comentários / críticas / elogios.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.