quinta-feira, 18 de março de 2010

Documentar é Bom!

Não sei bem vocês, mas eu não gosto muito de documentar as coisas que faço. Normalmente desenvolvo meu trabalho baseado nas solicitações de outras pessoas e raramente tenho vontade de documentar tais solicitações.

O Problema se agrava quando tenho que alterar alguma instrução da solicitação que já esta pronta.

Esse problema de não gostar de documentar, ou esquecer-se de fazer, deve ser comum a quase todas as pessoas, essas coisas burocráticas não é muito agradável de fazer. Mas acho que se agrava se você trabalha com informática.

Porém, as duras penas, você descobre que essa não pratica pode lhe trazer alguns problemas...

Dentre as funções que eu tenho uma delas é o desenvolvimento de relatórios. Dos mais variados possíveis: Simples, Complexo, cabeludo, inútil, interessante etc. Cada usuário tem uma visão e necessidade diferente, seja ela de se aparecer para a chefia e/ou diretoria quanto para realmente extrair informações que serão úteis na empresa. Mas tem aquele também que solicita e depois nem sabe o que fazer.

Mas voltando ao foco do post.... Recentemente tenho atendido muitas solicitações da contabilidade. E coisas da contabilidade são sempre muito mais importantes e deve ser visto com muito mais atenção, pois qualquer erro pode dar uma merda gigante.

Sempre que o contador vinha à minha sala, ele tinha uma idéia diferente sobre um determinado relatório que ele queria e eu prontamente alterava para atendê-lo. Com o passar do tempo percebi que ele vinha pedir pra mexer numa forma que já tinha sido alterada anteriormente e como eu não tinha nada documentado, não podia provar e começava a briga.

Como num post que fiz anteriormente, detesto fazer meu trabalho duas vezes, gosto de perder um tempo maior para um determinado problema para tentar fazer de uma única vez. Claro que nem sempre é possível. Mas não é esse o caso.

Percebi, então, que se eu fizesse anotações sobre as solicitações as coisas poderiam ficar melhores para o meu lado.

Percebi às duras penas, como podem notar, pois foram vários arranca-rabos ate eu perceber que só resolveria documentando e quem estava errado nesse caso era eu, pois por mais certo que eu esteja se não provar o que estou falando, não tem como lutar. Apesar da outra parte também não poder provar o que estava falando.

Resolvi o problema, todas as vezes que faço alguma alteração num relatório, pode ser apenas mudando a ordenação de código para nome, vou ao final do relatório e escrevo o dia da alteração, o que foi alterado e o solicitante. Nessa "brincadeira" entortei o contador duas vezes. Agora ele pensa mais de uma vez antes de pedir alguma coisa.

2 comentários:

cHiPs disse...

Isso é de suma importância cara... em um banco, não só são relatórios, mas também os 1263459748961 modelos e normas que temos para trabalhar que funcionam como um "software" emitido em versões...

A cada alteração que é feita (seja qual for) o documento GT5699001 passa para 002.. 003.. 004.. também constando a data da última alteração... isso é importante para a empresa (pois obriga os empregados a trabalharem com os documentos mais recentes e completos) e os empregados (que podem provar que em tal data tal coisa não era exigida ou tal documento ainda era daquela forma... assim como os desenvolvedores podem mostrar por A+B o que você exemplificou no post)...

Obviamente, existe um banco de dados com todas as versões anteriores de todos os documentos existentes...

Tudo em nome da organização e do não retrabalho... é lindo na teoria :P

Almighty disse...

A burocracia é útil até o momento em que ela se torna inconveniente. Ou não.
Escreva mais vezes aqui no blog, sentimos sua falta =D

Postar um comentário

Deixe seus comentários / críticas / elogios.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.