quarta-feira, 28 de outubro de 2009

As vezes dá certo...


Geralmente somos bitolados. Digo por que eu sou, e as vezes acabo me surpreendendo com atitudes de terceiros...

Quando estamos numa empresa com um quadro de diversas funções a serem desempenhadas, temos pessoas com perfis diferentes ocupando diferentes funções, onde geralmente, as pessoas buscam (ou deveriam buscar) funções que mais se adequem ao seu perfil, ou seja, vamos tentar trabalhar com algo que nos identificamos, gostamos.

Mas as vezes acontece diante de nós a velha batalha Remuneração Melhor X Função de menor "identificação"... e ai? O que fazer? "Pensariam" com o bolso ou com o coração?


Eu pensei com o bolso... mas... sinceramente, depois de algum tempo, estava me sentindo frustrado por não conseguir ter uma visão de negócios como tinha na função que estava anteriormente, além de me sentir um pouco restrito em relação a desenvolvimento profissional. Não que eu não gostasse do trabalho desempenhado, gostava, contúdo, não gostava de ficar restrito somente aquilo... Claro, a remuneração era melhor e disso eu estava gostando...

Durante um bate papo com alguns gestores (que não eram meus gestores de vinculação), acabou surgindo uma idéia de tentar, de alguma forma, equacionar minha função de maior interesse monetário com a de maior interesse pessoal, para que assim, possa me manter antenado e competitivo em ambas as áreas... pensei, pensei, e propus uma idéia, que até certo ponto, achava que dificilmente seria aceita devido as particularidades e a demanda que a função atual tem... Mas fiquei surpreso ao ouvir dos meu gestores:

"Claro! Afinal, que tipo de gestor eu seria se negasse uma oportunidade a um funcionário que quer se desenvolver dentro da empresa?!?!? Vamos amadurecer essa idéia e tentar encaixar nos nossos calendários..."

Pensando depois ví que fui bitolado, não fui empático o suficiente para notar/entender que meus gestores não estão lá por simplesmente estar, eles estão lá por que têm capacidade para a função, e se a têm, realmente não negariam uma forma de desenvolvimento profissional...

Pois é... as vezes dá certo...

5 comentários:

Fillipe Tesch disse...

Mais afinal, qual foi sua idéia? =p

malk disse...

ele trabalha no banco de dia e como acompanhante dos gestores de noite...

Paulo Patux disse...

Às vezes?
Você está muito bonzinho!!
Deveria finalizar com "muito, muito raramente" !!

Almighty disse...

É isso aí. Você começa como fogueteiro, e termina como chefe da boca-de-fumo.

cHiPs disse...

Hehehe... é realmente dava pra terminar com "ai eu caí da cama e acordei..."

Acho que o mal é esse, estamos tão acostumados com pessoas despreparadas e a sermos subjulgados (até por nós mesmos) que acabamos perdendo um pouco a esperança de que pode dar certo...

Mas calma... não virei dono de nada, nem acompanhante noturno, foi só uma idéia que pode me ajudar a talvez no futuro ter frutos de um conhecimento mais amplo dos negócios realizados na empresa... mais nada...

Postar um comentário

Deixe seus comentários / críticas / elogios.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.