quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Gerenciando o seu Chefe


Aproveitando o assunto de "chefes", a tempos atrás fiz um curso a distância homologado por Havard que se chamava: Gerenciando seu Superior Hierárquico - lá, dentro de vários assuntos abordados, vemos que além de sermos organizados e gerenciar nossas tarefas e resposabilidades, nosso tempo, nossas delegações e delegados, nossos clientes, devemos também separar um pouco de energia para gerenciarmos nossos superiores, que além de clientes também (#bermudacast nr2), são seres humanos que devemos conviver a longa data e que acredito que ninguém queira estar na sua lista negra...

A tempos atrás li na revista e repasso algumas dicas, extraídas da revista "Você S/A", para lidar com seu chefe (seja ele difícil.. ou não):


• Separe o que é seu - Analise cuidadosamente qual ponto de seu trabalho está sendo criticado pelo chefe. "Existem coisas que estão muito mais relacionadas à maneira como ele lida com o poder do que com o próprio funcionário", diz Maria Aparecida Rhein Schirato, da Rhein Schirato Consultores.

• Deixe para amanhã - Se o chefe está num mau dia, fale com ele depois.

• Dê e peça feedback o tempo todo - Um sapo aqui, outro lá e, quando você perceber, já engoliu um brejo inteiro. Por isso, resolva as pendências assim que elas aparecerem.

• Inclua-se na história - Não acuse o chefe quando for conversar com ele - afinal, o problema é seu também. O melhor é adotar um discurso do tipo "sua ansiedade está fazendo com que eu me desconcentre. Você me faz tantas cobranças que fico sem saber por onde começar".

• Converse no escritório - Já que o assunto é trabalho, a conversa deve ser na empresa mesmo.

• Esfrie a cabeça - Se tudo o que você quer é gritar e sair batendo porta, contenha-se! "Quem age dessa maneira mostra que não é profissional. E um mau chefe vai deitar e rolar com essa situação", diz Maria Aparecida.

• Faça uma limonada - Como é muito difícil encontrar alguém 100% incompetente, veja o que é possível aprender com seu chefe. "Se você tem um líder fraco, pode aproveitar para desenvolver sua autonomia", diz a consultora Irene Azevedo, da KPMG. Só não entre naquela de ficar reclamando pelos cantos, porque não há nada mais antiprofissional - e chato - do que isso.

• Quebre o silêncio - Isso vale principalmente para pessoas que estão sofrendo algum tipo de assédio. Quando for conversar com o chefe, faça-o na presença de uma testemunha. Se não resolver, converse também com o superior dele. "E, se o caso for grave, leve o assunto para fora da empresa, ao sindicato ou a um advogado", diz a médica do trabalho Margarida Barreto.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seus comentários / críticas / elogios.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.