quarta-feira, 15 de julho de 2009

Prison Song

A prisão é algo engraçado. Está mais para um objeto de vingança do que para uma máquina de ressocialização. Se um cara rouba seu relógio, você o quer morto, ou que vá para a cadeia ser espancado/violentado. Então, quando esse mesmo indivíduo sai da prisão, e ele volta a roubar, ou matar, ou whatever, você acha ruim. A culpa é dele? Ou a culpa é sua - e de toda a sociedade - que não dá nova oportunidade para que ele possa, talvez, ter uma vida digna?
Recentemente ocorreu um caso curioso comigo: quando eu e mais um amigo íamos entrar no carro para voltar pra casa, um flanelinha nos abordou pedindo uma "ajuda". Ele mostrou um alvará de soltura, todo amassado e rasgado, que tirou do bolso. Tinha saído da prisão recentemente, e pra que? Pra virar flanelinha. Não vou discutir se ele estava lá por falta de oportunidade ou por falta de vontade de procurar um emprego. A questão é: ele saiu da prisão e continuou na merda.
Não adianta só prender. O detento deve ser orientado na prisão, deve ser instruído, deve aprender uma profissão, ou pelo menos saber como conseguir um trabalho ao voltar para a liberdade. Muitos roubam por necessidade ou por consequência de uma família desestruturada e amigos criminosos. Faz sentido culpar um moleque de 15 anos que matou para roubar 10 reais e comprar crack, sendo que ele é dependente desde os 12 anos?
O negócio é o seguinte: esse tema é complexo e chato, ninguém quer saber disso. Quem se importa com as mortes na favela? Me dêem licença que eu vou ver novela e colocar foteenhas novas no Orkut.


1 comentários:

Fillipe disse...

Foda =/ O grande problema é que é mais caro você (re)educar do que simplesmente deixar alguém atraz das grades simplesmente. Ou seja, nesse caso os políticos teriam menos dinheiro pra roubar. E isso não é bom... pra eles.

Postar um comentário

Deixe seus comentários / críticas / elogios.

OBS: Os comentários dos leitores não refletem as opiniões do blog.